14 de fevereiro de 2008

O Canudo

Thiago Kalu

Que venham os males.
Tornar-se-ão amuletos.
Na minha doce tortura dos últimos dias,
Os versos emergem com a beleza dos vales
E, nos meus olhos, qualquer pranto vira soneto.

Os pães se multiplicam na dor
E as dúvidas travam uma guerra mesquinha
Entre o orgulho e o amor, entre o trigo e a farinha.
Pelo mais puro milagre da química.

Ando pouco faminto e sem sonhos noturnos.
Qualquer calmante me apetece mais que a idéia de outro beijo.
Qualquer estimulante me seduz mais que outro cheiro.
Qualquer dia me alegra mais que o agora.
E, quando os outros dias vierem, nada de cócegas, nada de rimas.

Se o mundo é justo?
Pergunte às mães dos juízes de futebol.

Meu filho morreu sem que eu me tornasse pai.
Minhas canções mais belas terão de ser traduzidas.
O Português é cruel porque penso em Português.
Meu futuro depende do perdão e da pertinência dos instantes.
Talvez eu ande pelas praças, recitando poemas amargos
E receba pedradas dos estudantes.
Talvez uma moça cega me ame.
Talvez a esperança muda me chame e me obrigue a lutar.

Há quem pense que o amor é reciclável,
Descartável como o canudo furado.
Não, não, não,
O coração não é inflável.
Todo poeta sabe disso,
E todos podem ser poetas,
Por mais que o sejam calados.

7 comentários:

- Marechal Carleto - disse...

A Obra Prima

Poema essencial de nossa língua

Xumiuchoa disse...

Quando você não está bebendo (ou justamente quando está, escreve coisa que valem! uhauahuahu Abraço
Esse bagaço aqui ja esta adicionado no bagaço de la: www.mamelucomaluco.wordpress.com

Anônimo disse...

Novidades Homem Fera!!!

Anônimo disse...

Perfeito!! Uma grande obra a ser valorizada!!


Astor Sanders

Carleto Gaspar 1797 disse...

Meu querido Rank Mccoy

rsrs


meu e-mail eh carlosandreas@gmail.com e o msn eh

gand6@hotmail.com

me adiciona aí

Vamu trocar!

e outra coisa

verão tamu aí novamente, jah falei com Flavinho, Rodrigo, Araujo


espero que a gente se encontre


grande abraço e vlw a gentileza


Carlos.
!

Edinho_Dantas disse...

Rapaz...
Isso é Kalu!
só isso...

Verónika Méndez disse...

lindo demais...

fora de série.

impossível n se apaixonar pelas palavras... o menino abusado da cláudio manoel da costa cresceu e se tornou um grande homem, mais abusado ainda.

use e abuse da vida, das palavras e das melodias.
dom divino.
saravá.

beijo saudoso e atlântico com gosto de sal e infância.