3 de dezembro de 2010

Inspiração

Thiago Kalu

Teu cheiro não cabe nas melodias que faço,

Nem nos versos que escrevo marcando o compasso.
Ele transborda no tempo e no ar,
Criando raízes no meu respirar.

É um pouco de manga, melão e morango.
É mistura de samba, de salsa e de tango.
É um sonho de valsa do tamanho do mundo.
E, se for mesmo sonho, eu quero um sono profundo.

Mas todo odor ao meu redor,
Aos poucos, retoma seu posto
E teu cheiro permanece em restos,
Na memória do rosto
E nas lembranças dos gestos.

Leva-o em tua carne distante
Com serenidade e alegria,
Que eu me despeço dele na vida
E perfumo a despedida
Num caderno de poesia.

4 comentários:

lucasufba disse...

Quanto pesaria a massa desse cheiro?... Bom é saber que existem pessoas capazes de expirá-los numa folha de papel...
abs Kaleuris!

Lucas

Ana Magalhães disse...

‎"E teu cheiro permanece em restos,
Na memória do rosto
E nas lembranças dos gestos.." Tão lindo Kalu, adoro quando tem novidade aqui. Beijão.

Lobo disse...

"se for mesmo sonho quero um sono profundo" é o melhor verso da história da poesia, Borges diria, ao que Belchior retrucaria "viver é melhor que sonhar".

a síntese é de Macedonio Fernández: "nem tudo é vigília para os olhos abertos".

Flora Rocha disse...

Inspirado, Kalu escreveu "Inspiração" e, sem querer, inspirou. :)
:*