22 de outubro de 2012

Faxina



Não existe
nada mais triste
que um coração empoeirado.

Por onde o amor,
sentimento espanador,
há tempos não tem passado.

Com o peito tão desarrumado,
é bem provável 
que sua sina
frágil e móvel
necessite de uma faxina.

Sacuda, sacuda, sacuda,
desinfete os desafetos,
esfregue as dores,
levante a cabeça
e se oriente.

Dê uma geral nos seus hábitos,
escove bem os desejos
e cante

[melodias acumuladas
pegam mofo com qualquer chuvinha].

Um comentário:

tatah café disse...

Genial!